CIDADANIA E JUSTIÇA: Seppir lança edital contra o racismo



“Nós temos certeza de que esse é um passo importante para o País”, afirmou ao Portal Brasil, com exclusividade, a ministra-chefe da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Seppir), Nilma Lino Gomes, após o lançamento nessa quinta-feira (2) do edital que vai disponibilizar R$ 4,6 milhões em 2015 para projetos de fortalecimento dos órgãos de promoção da igualdade racial e de apoio a políticas públicas de ação afirmativa e para comunidades tradicionais.

De acordo com a Seppir, serão escolhidas as iniciativas que ajudem a consolidar o Sistema Nacional de Promoção da Igualdade Racial (Sinapir). “Investimos um tanto a mais do que a primeira chamada, que fizemos no ano de 2014”, explicou a ministra.

O edital foi cotejado em três frentes de financiamento e contemplará, entre outros, a inscrição de projetos de aquisição de bens destinados à estruturação física; de capacitação; de elaboração e/ou revisão de planos de igualdade racial; de criação e funcionamento de órgãos e conselhos; de projetos de comunicação; de ações voltadas para a saúde da população negra; e de fomento a empreendimentos associativos de comunidades quilombolas, de matriz africana e ciganas.
Andradina

A prefeitura do município de Andradina, situado no estado de São Paulo, aproveitou a ocasião para se juntar ao Sinapir. “O sistema pretende criar uma sinergia entre o governo federal e os demais entes federados para estimular, aprofundar e fortalecer as políticas de promoção da igualdade racial no Brasil e a luta pela superação do racismo”, declarou Nilma. “Nós temos hoje o município de Andradina junto com a Seppir nessa cerimônia, onde o prefeito e sua equipe fazem a adesão ao Sinapir”, acrescentou.

Para o prefeito de Andradina e descendente de japoneses, Jamil Ono, é motivo de orgulho integrar uma política que luta contra o racismo (ouça o áudio abaixo). Em discurso durante o lançamento do edital da Seppir, Jamil assugurou que sua administração promove a inclusão de negros. “Tenho feito a minha parte”, declarou, antes de esclarecer que cerca de 40 dos 75 funcionários da prefeitura chefiada por ele são afrodescendentes.

Comentários