Após ameaçar demissão e corte de salários, governo diz que 97% das escolas estão funcionando

Após ameaçar demissão e corte de salários, governo diz que 97% das escolas estão funcionando
Após ameaçar processar administrativamente, podendo, inclusive, demitir servidores, e cortar salários dos trabalhadores da Secretaria de Estado de Educação e Esporte (SEE) em greve, o governo de Sebastião Viana anunciou que mais de 97% das escolas já retomaram os trabalhos, claro, temendo retaliações governistas ao movimentos de greve.

Em comunicado da SEE, nesta terça-feira, 11 de agosto, as contas da instituição apontam que 97,4% das escolas em Rio Branco e 97% nas demais cidades acreanas estão com aulas. O percentual corresponde a 160 unidades de ensino funcionando totalmente no interior. Apenas 10 escolas em todo o Estado continuam em greve.

Através da Assessoria, o secretário da pasta, Marco Brandão, se mostrou agradecido à categoria, que retomou os trabalhos. “Agradecemos aos professores pelo retorno às aulas e pela compreensão de que, neste momento, temos que preservar o ano letivo, sobretudo o direito dos nossos alunos de aprender”, comentou.

Em escolas que passaram mais tempo em greve, como a Armando Nogueira, de ensino médio, o órgão afirmou que para repor os mais de 50 dias de aulas será necessário um planejamento específico, incluindo aulas até janeiro de 2016.

Mais de 80% dos professores estão hoje em sala e podem acompanhar os alunos que se submeterão ao Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). “Quando todos [professores] voltarem, teremos que ajudar o máximo possível os alunos a recuperar o conteúdo perdido”, ressaltou Luziane Nepomuceno, coordenadora de ensino.

Na segunda-feira, 10, uma comissão esteve no gabinete da desembargadora Eva Evangelista, para pedir a intermediação deste conflito. O advogado Junior Medeiros, do sindicato da categoria, informou que questionará na Justiça, a decisão do secretário estadual de Educação (SEE), Marco Brandão de demitir os professores provisórios e efetivos em estágio comprobatório, que não retornarem ao local de trabalho.

Fonte: http://www.ac24horas.com/

Comentários