Comissão especial do impeachment é aprovada por 433 votos a 1

Eduardo Cunha quer definir em reunião ainda nesta quinta-feira o presidente e relator da comissão que julgará o pedido
Agência Brasil
Após notificação, Dilma terá dez sessões do Plenário para apresentar sua defesa à comissão

A Comissão Especial que julgará o impeachment da presidente Dilma Rousseff foi criada na tarde desta quinta-feira (17) na Câmara dos Deputados. A lista com os nomes que deverão compor a comissão especial foi aprovada com 433 votos favoráveis e apenas um voto contrário. O voto contrário foi do deputado José Airton Cirilo, do PT-CE. 

O presidente da Câmara, Eduardo Cunha, convocou a comissão para se reunir novamente, às 19 horas, para eleição do presidente e do relator do pedido. Às 18 horas, haverá reunião de líderes para discutir os procedimentos de funcionamento da comissão.

Após a aprovação da lista, Dilma será comunicada sobre o início da análise. A partir da notificação, ela terá dez sessões do Plenário para apresentar sua defesão à comissão.O STF terminou de julgar os recursos apresentados pela mesa diretora da Câmara na última quarta-feira (16). Detalhes do rito do processo de impeachment foram definidos pelo Supremo Tribunal Federal (STF) ainda em dezembro de 2015, mas somente na quarta-feira os juizes do Supremo ratificaram todos os termos da tramitação.

Entre eles o da votação aberta para a escolha da lista e a decisão do Senado se inicia ou não o julgamento caso o processo seja autorizado pela Câmara por 2/3 de seus membros (342 votos).

*Com Agência Câmara

Comentários