Deputado cobra inquérito epidemiológico para acabar com polêmica de açaí contaminado

Preocupado com os possíveis prejuízos aos produtores de açaí do município de Feijó, devido à notícia de que o produto poderia estar infectando pessoas com a doença de Chagas, o deputado estadual Jenilson leite (PCdoB) voltou a destacar a necessidade de se realizar um inquérito epidemiológico. Ele citou que as notas publicadas sobre o assunto só trouxeram pânico à população e prejuízos aos produtores de açaí.

“Precisamos retomar esse debate, afinal de contas, o que está em jogo é o sustento de muitos produtores de açaí. Foram divulgadas notas que geraram polêmica e temor na população acreana. Isso causou grandes prejuízos aos produtores. Pretendo fazer um inquérito epidemiológico em parte da população de Feijó para saber se existem outros casos da doença e a maneira como aconteceram às contaminações. Por essa amostragem poderá ser identificada a presença do barbeiro e do parasita Trypanosoma cruzi na região”, disse.

Ele comentou, também, sobre a realização de um curso de capacitação aos atores da cadeia produtiva do açaí. O objetivo é garantir um produto de qualidade e sem nenhum risco a quem consome.

“A Secretaria de Estado de Extensão Agroflorestal e Produção Familiar (Seaprof) está de parabéns pela iniciativa. O curso garante a segurança de retirar qualquer besouro ou outras formas de vidas parasitas que possam causar doença nas pessoas. Dessa forma, o açaí de Feijó, que teve a sua imagem prejudicada, pode ser consumido com segurança”.

Por fim, Leite sugeriu a criação de um selo de qualidade para o açaí de Feijó. “Esse selo será concedido aos produtores que utilizarem as boas práticas de produção. Serão feitas análises em laboratórios especializados para garantir ao consumidor a qualidade e a segurança do açaí regional”.

MARCELA JANSEN/AGAZETADOACRE 

Comentários