A Odebrecht e o assassinato do governador Edmundo Pinto em São Paulo

 

Aos 38 anos, o governador do Acre, Edmundo Pinto, foi assassinado com dois tiros na madrugada de 17 de março de 1992, no apartamento 704 do Hotel Della Volpe, na rua Frei Caneca, no centro de São Paulo.

A polícia considerou como hipótese crime político, motivado por disputas no Acre, e corrupção envolvendo obras do Canal da Maternidade, em Rio Branco.

O governador foi assassinado um dia antes de depor numa CPI do Congresso sobre as obras do Canal da Maternidade.

Três quartos no mesmo andar do hotel eram ocupados por funcionários da construtora Odebrecht, que realizava obra a investigada pela CPI.

Mas a polícia de São Paulo concluiu apressadamente por latrocínio porque foram roubados de Cr$ 500 mil a Cr$ 600 mil do governador e US$ 1.500 de um hóspede norte-americano.

Após 23 anos, com Marcelo Odebrecht, presidente da maior empreiteira do país preso preventivamente durante a 14º fase da Operação Lava Jato, o jornalista João Leite Neto, do site Milk News TV, quer chamar a atenção do juiz Sérgio Moro e da Polícia Federal. O jornalista enviou o vídeo e a seguinte mensagem:

Meu caro Altino

Até hoje tenho "engasgado" em minha garganta o caso da morte do governador do Acre Edmundo Pinto. Na época estive em Rio Branco como repórter do programa “Aqui Agora” e tive de sair meio que na carreira. Apesar de passados 23 anos do crime e quase tudo estar prescrito, senti certo interesse por parte da Polícia Federal e do juiz Sérgio Moro em detalhes do caso. Moro em Curitiba e tenho um espaço na internet, o Milk News TV. Gostaria que o colega assistisse e, se possível, completasse com algumas informações. Se julgar oportuno, por favor divulgue aí no Acre. 

Grande abraço, 

João Leite Neto"

Blog do Altino Machado

Comentários