ACRE: Após transplante, policial militar denuncia falta de medicamento na rede estadual de saúde

“Nesses três meses eu estou sem tomar o remédio e já comecei a sentir os sintomas novamente", denuncia Raimundo/Foto: Selmo Melo/ContilNet Notícias

Dependente de uma medicação desde que fez um transplante de fígado em Brasília, o policial militar Raimundo Célio, 51, não consegue encontrar há mais de três meses na rede estadual de saúde o remédio Entecavir, próprio para o tratamento de Hepatite B.

“Nesses três meses eu estou sem tomar o remédio e já comecei a sentir os sintomas novamente, minha barriga começou a inchar de novo”, relata. De acordo com o policial, o problema é que o Entecavir não é encontrado nem em farmácias particulares.

“Antes era muito bom, tinha remédio no dia certinho mas de uns meses para cá começou esse problema”, explica. Raimundo conta que sente diarreia, ânsia de vômito, apatia e dores abdominais quando não pode ingerir o medicamento.

Versão da Sesacre

Em contato com a assessoria da Secretaria Estadual de Saúde (Sesacre), a informação é que o governo do Estado está ciente da falta do medicamento, porém, antes da empresa que fornecia o Entecavir terminar o contrato de distribuição, o governo abriu um edital de compra emergencial. O problema agravou quando nenhuma empresa se interessou em distribuir o remédio.

Agora o governo já abriu um processo licitatório, segundo a assessoria, e espera a distribuição seja feita novamente em breve. Não foi divulgado nenhum prazo para a normalização do estoque do medicamento.

Fonte: http://www.contilnetnoticias.com.br/

Comentários