Com governo do PT dividido, três chapas disputam a presidência do maior sindicato da saúde


sintesaccapa
O Sintesac, maior sindicato dos funcionários da saúde do Acre, realizará em 30 dias uma das eleições mais disputadas em sua história. Um dos poucos sindicatos cujo domínio ainda é dos partidos de oposição, o Sintesac terá três candidaturas - o atual presidente, Antônio Daniel, briga pelo quarto mandato sucessivo e terá como adversários dois nomes ligados ao governo.
O sindicato conta com uma arrecadação anual de R$ 1,2 milhão. A atual diretoria é composta por sindicalistas filiados a partidos oposicionistas. Antônio Daniel é do PSDB, com o secretário-geral, Frank Lima, ocupando a mesma função no Democratas.

Para derrota-los, o Palácio Rio Branco investe nas candidaturas de Glória Galvão e Adailton Cruz. O primeiro nome é o que tem apoio oficial do governo, enquanto Cruz tem como padrinho político o deputado estadual Raimundo da Saúde (PTN).

Glória Galvão fazia pare da atual diretoria do Sintesac até anunciar sua candidatura com a bênção palaciana. Ela era a vice de Antônio Daniel, e seria o nome do tucano para sua sucessão. Como em 2014 Glória decidiu apoiar a candidatura de Tião Viana, sua situação acabou ficando desconfortável.

Apesar de não ser apresentado oficialmente como candidato governista, Adailton Cruz, que também preside o Conselho Regional de Enfermagem (Coren), está patrocinado por um parlamentar da base, o que não o levaria a ter uma postura mais independente em relação ao governador Tião Viana.

De acordo com o Sintesac, seis mil servidores da daúde estão aptos a votar no próximo dia 31 de julho. Urnas serão colocadas nas unidades dos 22 municípios. Além de uma arrecadação anual expressiva, a entidade dispõe de patrimônio avaliado em mais de R$ 50 milhões.

Fonte:http://www.contilnetnoticias.com.br/

Comentários