Em filiação de Ciro Gomes, PDT anuncia que sigla deixará cargos no governo Dilma

Carlos Lupi,presidente nacional do PDT, já acerta a saída do ministro do Trabalho, Manoel Dias, a ser anunciada em breve
Agência Brasil
Carlos Lupi é o atual presidente nacional do Partido Democrático Trabalhista (PDT)

O presidente nacional do Partido Democrático Trabalhista (PDT), Carlos Lupi (RJ), afirmou nesta quarta-feira (16) que o partido já se prepara para deixar os cargos que ocupa no governo da presidente Dilma Rousseff. O político também já acerta a saída do ministro do Trabalho, Manoel Dias, na reforma, que deverá ser anunciada nos próximos dias.

Durante a filiação do ex-ministro Ciro Gomes ao PDT nesta quarta, Lupi disse que a sigla "sairá pela porta da frente do governo", sem, no entanto, deixar a base de Dilma no Congresso. Ele ainda acrescentou que o partido é radicalmente contrário às iniciativas pelo impeachment da presidente.

Segundo Lupi, o partido terá candidato próprio nas eleições de 2018. Esse seria um dos motivos para o PDT deixar o governo agora, já que se sabe que o PT também pretende lançar sua candidatura. O político admitiu que Ciro Gomes é uma grande aposta da sigla para ser candidato à Presidência da República.

O ministro Manoel Dias, também presente na afiliação, evitou especular sobre a reforma administrativa, mas reafirmou seu "apoio incondicional" a Dilma Rousseff. "O PDT não pode rasgar sua biografia. Nós tivemos Getúlio Vargas, João Goulart e Leonel Brizola. Não há como defender um processo que não seja democrático", declarou. Dias ainda fez crítica às investidas da oposição para derrubar a presidente: "somos legalistas."

Fonte: http://ultimosegundo.ig.com.br/

Comentários