PT recomenda voto contra Cunha no Conselho de Ética

Bancada do partido aprova indicação que abre caminho para que seus representantes votem pelo seguimento da ação, colcando governo em rota de colisão com presidente da Casa
Gustavo Lima / Câmara dos Deputados - 24.11.15
Eduardo Cunha afirma que representação contra ele no Conselho de Ética da Câmara é "pífia"
A bancada do PT aprovou por maioria uma recomendação para que seus três representantes no Conselho de Ética, Leo de Brito (AC), Valmir Prascidelli (SP) e Zé Geraldo (PA), votem pela aprovação do parecer preliminar de Fausto Pinato (PRB-SP). O relator pede o seguimento da representação contra o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), no colegiado.

"A bancada expressou a opinião de que temos de votar pela continuidade do processo", confirmou Prascidelli, que ainda faz mistério ao ser questionado se seguirá essa indicação da bancada. "Creio que será essa a nossa posição. Tudo indica que sim". Os três petistas deverão fazer a balança pender em favor da vitória do relatório de Pinato.

No entanto, ficou para a próxima semana a votação do relatório preliminar que pede a continuidade do processo contra o presidente da Câmara dos Deputados. Regimentalmente, o Conselho não pode deliberar nada porque a ordem do dia foi aberta com uma sessão conjunta do Congresso Nacional.O presidente do conselho, José Carlos Araújo (PSD-BA), consultou os deputados presentes e decidiu deixar a votação para a próxima semana, diante da grande possibilidade de não haver quórum para uma sessão nesta quinta-feira. "Precisaremos de um Conselho completo e não vamos ter isso (quinta-feira). Não serei responsável por um fracasso. A representação número um está fora de cogitação", disse Araújo sobre a possibilidade de pautar a representação contra Cunha nesta quinta.

Cunha é alvo de representação depois que a Procuradoria-Geral da República recebeu documentos da promotoria suíça a respeito de contas em nome de Cunha e de seus familiares naquele país. Em sessão da CPI da Petrobras, Cunha teria mentido ao responder sobre a posse de contas na Europa, o que acabou sendo a base da representação contra ele.

Em jogo também está o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff. Cunha é quem decide o futuro desses pedidos e, nos bastidores, tem pressionado o governo para que os petistas votem contra o seguimento da ação em troca de uma negativa aos requerimentos. A posição, marcada pela bancada, colocará o PT e o governo em rota de colisão com Cunha.

Fonte: http://ultimosegundo.ig.com.br/

Comentários