No Acre, manifestação contra Dilma e a favor da Lava Jato fracassa e coordenação do Vem Pra Rua critica MBL, que evita polemizar

A previsão era de que a manifestação contra o PT, Dilma Rousseff e a favor da Operação Lava Jato, em frente ao Palácio Rio Branco, na capital do Acre, neste domingo, 31, fosse atrair um grande público, mas a quantidade de pessoas foi tão pequena, não mais que 20, que o ajuntamento acabou virando uma roda de bate-papo com reflexões sobre o atual contexto político.

O protesto, marcado para começar por volta das 14h, nem de longe agradou seu principal organizador, o tucano Renê Fontes, coordenador local do Vem Pra Rua, movimento que se notabilizou em todo país como um dos mais incisivos contra o governo petista de Dilma Rousseff. Os protestos ocorreram neste domingo em quase todas as capitais brasileiras. A participação foi bem abaixo do esperado.

Em Rio Branco, os anti-petistas armaram um cenário com tenda e carro de som, mas faltou o principal: gente.

“Hoje eu vejo que boa parte do movimento não era apartidário. Pessoas que estavam nesse movimento eram sim de partidos políticos, mas pregavam um movimento apartidário. Essas pessoas tinham um problema específico com o PT. E eu como um dos líderes do movimento nunca quis pregar um problema específico contra o PT e sim contra a corrupção. O movimento se acomodou. A Dilma é extremamente ruim. O Temer não é bom, mas aparentemente sabe usar uma calculadora. Fazer cálculos. Já tranquiliza a classe média, que é a classe que se peticionou com mais vigor”. Em seu desabafo, Renê Fontes deixa clara sua insatisfação com os líderes do Movimento Brasil Livre, o MBL.

Procurada pela reportagem de ac24horas, a coordenação do MBL no Acre evitou polemizar, mas explicou que o movimento resolveu não participar de nenhuma das manifestações ocorridas hoje pelo Brasil por questões de estratégia. “Na realidade o Movimento Brasil Livre em âmbito nacional não participou das manifestações de hoje porque acreditamos que por estar muito longe da votação do impeachment o protesto deveria acontecer um pouco mais próximo do dia da votação pra que a pressão seja maior. Nós também lutamos não somente pela saída do PT, mas pelo fim da corrupção”, disse Frank Vidal, um dos coordenadores do Brasil Livre no Acre.

Uma nova manifestação a favor da Operação Lava Jato e contra o PT está marcada para o dia 21 de agosto.

Fonte: http://www.ac24horas.com/

Comentários