Manifestantes ocupam Ministério da Fazenda contra a reforma da Previdência


Protesto iniciado às 5 horas desta quarta-feira faz parte das ações do Dia Nacional de Mobilização e Paralisação contra a Reforma da Previdência, promovido no Distrito Federal e pelo menos 23 estados
Mídia Ninja
Protesto no ministério não tem hora para acabar, dizem organizadores
Manifestantes ocuparam na madrugada desta quarta-feira (15) a sede do Ministério da Fazenda e Previdência, em Brasília. O protesto faz parte do Dia Nacional de Mobilização e Paralisação contra a Reforma da Previdência, promovido pelo Movimento dos Trabalhadores Sem-Terra (MST), centrais sindicais e outras entidades das frentes Brasil Popular e Povo sem Medo. Os organizadores afirmam que cerca de mil pessoas começaram a ocupar o ministério às 5 horas. Já a Polícia Militar diz que há 200 manifestantes no local. Outros grupos prometem se juntar ao movimento.
Mídia Ninja
MST também protesta contra medida provisória que, segundo o movimento, extingue os critérios que asseguram o interesse social da propriedade
Estão previstas manifestações no Distrito Federal e em 23 estados. Várias categorias anunciaram que vão paralisar por até 24 horas. Outras prometem atrasar o início dos trabalhos e realizar assembleias e participar de atos públicos em diversas cidades de todo o país. Moradores de São Paulo e Belo Horizonte começaram o dia sem metrô. Motoristas de ônibus também retardaram a saída das garagens. Ainda na cidade, o ex-presidente Lula deverá participar, às 16 horas, de protesto na Avenida Paulista.

O movimento contesta as alterações propostas pelo governo para as reformas da Previdência e trabalhista. Entre os principais pontos questionados, estão a fixação de uma idade mínima de 65 anos para a aposentadoria de homens e mulheres e a exigência de 49 anos de contribuição para acesso ao benefício integral.

A ocupação no Ministério da Fazenda é realizada por movimentos da Via Campesina Brasil, MST, Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), Movimento das Mulheres Camponesas (MMC), Coordenação Nacional de Articulação das Comunidades Quilombolas (Conaq), Movimento dos Trabalhadores por Direitos (MTD), Movimento de Luta pela Terra (MLT), Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) e conta com o apoio de professores da base do Sinpro/DF e de trabalhadores de diversas categorias da base de sindicatos da CUT. A Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag) também pretende levar mais 2 mil manifestantes para o ministério.
No vídeo, Marco Antonio Baratto, do MST, diz por que o movimento decidiu ocupar a Fazenda:
Confira os locais das atividades programadas nas capitais:
ACRE (Rio Branco)8h – Ato público com concentração no Palácio Rio Branco
Paralisação dos vigilantes, correios, educação, saúde, polícia civil
ALAGOAS (Maceió)10h – Praça dos Martírios
AMAPÁ (Macapá)15h – Ato em frente à Companhia de Água e Esgoto do Amapá em protesto contra a privatização das empresas públicas, depois caminhada até o ato unificado, na Praça Veiga Cabral, no centro da capital
BAHIA (Salvador)7h – Manifestação no Iguatemi
15h – Ato unificado com passeata no Campo Grande
BRASÍLIA8h – Ato público Catedral – Esplanada dos Ministérios
CEARÁ (Fortaleza)8h – Passeata no centro da cidade com concentração na Praça da Bandeira
ESPÍRITO SANTO (Vitória)7h - concentração na Praça de Goiabeiras com caminhada até o Aeroporto
GOIÁS (Goiânia)9h - concentração na Praça Deodoro com caminhada e ato em frente ao prédio da Previdência, no Parque Bom Menino.
MINAS GERAIS (Belo Horizonte)10h – Ato na Praça da Estação
PARÁ (Belém)9h – Ato público na Praça da República
Paralisação dos correios, bancários e acampamento no aeroporto de Belém
PARAÍBA (João Pessoa)16h – Ato em frente ao escritório do Ministério da Previdência com passeata pelo centro
PARANÁ (Curitiba)9h – Ato público na Praça Tiradentes
Paralisação da educação, servidores federais e municipais de Curitiba
PERNAMBUCO (Recife)9h – Ato político na praça Oswaldo Cruz
PIAUÍ (Teresina)
9h -  Ato público em frente à Assembleia  e audiência pública sobre a reforma da Previdência
RIO DE JANEIRO
16h – Ato unificado na Candelária
RIO GRANDE DO NORTE (Natal)14h – Ato público na Praça Gentil Ferreira
RIO GRANDE DO SUL (Porto Alegre)18h – Esquina democrática, em Porto Alegre
RONDÔNIA (Porto Velho)9h – Ato e passeata com concentração na Praça Estrada de Ferro Madeira Mamoré
Fechamento das principais agências do INSS
RORAIMA (Boa Vista)8h – Ato público na Praça do Centro Cívico
SANTA CATARINA (Florianópolis)16h – Ato público na Praça Miramar
Fonte: http://congressoemfoco.uol.com.br/

Comentários