Neymar erra pênalti, mas brilha em vitória sobre Paraguai e põe o Brasil na Copa

Com gols de Coutinho, Neymar e Marcelo, seleção joga bem na Arena Corinthians e chega à nona vitória consecutiva sob o comando de Tite
Mowa / Divulgação
Brasil comemora o primeiro gol diante do Paraguai

A seleção brasileira conseguiu a nona vitória consecutiva, mantendo os 100% de aproveitamento com Tite como treinador, ao derrotar o Paraguai por 3 a 0, na Arena Corinthians, pelas Eliminatórias Sul-Americanas da Copa do Mundo. Os gols do Brasil foram marcados por Philippe Coutinho, no primeiro tempo, Neymar e Marcelo, na etapa complementar.


A vitória não só foi importante pelo placar e bom futebol apresentando pela equipe, como também fez com que a seleção se garantisse na Copa do Mundo de 2018, que será realizada na Rússia. Líder isolado das Eliminatórias, com 33 pontos, o Brasil confirmou sua classificação após a vitória do Peru sobre o Uruguai, por 2 a 1.

Primeiro tempo dominante 

Com o padrão dos demais jogos sob o comando de Tite, o Brasil iniciou o jogo na pressão da saída de bola do adversário e com passes rápidos e objetivos. A defesa paraguaia tinha dificuldades de acompanhar as tabelas dos brasileiros e acabava apelando para as faltas com frequência. As primeiras oportunidades do Brasil vieram exatamente nessas bolas paradas, sempre com Neymar.

Primeiro, o camisa 10 cruzou da esquerda para a área, e Paulinho cabeceou para fora. Depois, ele arriscou cobrança direta e viu o goleiro Anthony Silva fazer boa defesa. Na sobra, Paulinho pegou a bola na ponta direita e cruzou para Roberto Firmino, que cabeceou para mais uma bela intervenção do arqueiro paraguaio.


Passada a metade do primeiro tempo, o Brasil controlava o jogo completamente, com mais de 70% de posse de bola e chegadas contundentes. O Paraguai apostava apenas em chutões para frente. Neymar, pela ponta esquerda e Fagner e Paulinho, com boas tabelas pelo lado direito, eram os destaques da seleção. O domínio se transformou em gol aos 33 minutos da primeira etapa: Philippe Coutinho recebeu pela direita e tocou para o meio para Paulinho. O volante devolveu de primeira, de calcanhar e o meio-campista do Liverpool bateu forte, rasteiro, de perna esquerda para vencer Silva e abrir o placar na Arena Corinthians. O gol fez com que o Brasil diminuísse o ritmo no restante da primeira etapa, mas sem perder a posse da bola e o controle jogo.Mowa Press
Brasil venceu o Paraguai em SP e está na Copa do Mundo de 2018, na Rússia

Show de Neymar

Na volta do intervalo, o Brasil voltou a acelarar o ritmo do jogo e logo teve boa chance com Paulinho, em chute forte de fora da área, que passou perto do gol. Aos cinco minutos do segundo tempo, Neymar arrancou pela esquerda, invadiu a área e caiu após se chocar com o zagueiro Rojas. O juiz Victor Carrillo assinalou pênalti. Na cobrança, o próprio Neymar foi para a bola e bateu no canto direito, sem muita força e o goleiro Silva conseguiu defender.

Apesar da oportunidade perdida, o Brasil seguia jogando bem e o Paraguai continuava a fazer muitas faltas. Toda vez que conseguia tomar a bola, o time comandado por Francisco Arce, ex-jogador de Palmeiras e Grêmio, demonstrava muito dificuldade para sair jogando.

Não demorou muito para Neymar compensar pelo pênalti perdido. Aos 18 minutos, ele escapou pela esquerda desde antes do meio de campo, em velocidade, invadiu a área, fez finta de corpo incrível em dois zagueiros e bateu com classe. A bola ainda desviou na defesa para enganar Silva e balançar as redes. Na comemoração, o craque, que voltou a ser capitão da seleção após sete meses sem a faixa, chegou a se emocionar. Pouco depois, em bela finalização, Neymar chegou a fazer mais um gol, comemorou com a bandeira de linha de fundo, mas o lance foi anulado após confusão entre o juiz e o assistente.Mowa / Divulgação
Capitão depois de sete meses, Neymar voltou a brilhar pela Seleção

A vantagem de 2 x 0 fez o time brasileiro diminuir o ritmo novamente e deixou os paraguaios ainda mais nervosos. Aos 30 minutos da segundo etapa, os gritos de "olé" já eram ouvidos nas arquibancadas da Arena em Itaquera, zona leste de São Paulo.


Com a vitória praticamente assegurada, o Brasil gastava o relógio, pilhava os adversários e ainda criava chances. O corintiano Fagner, recordista de jogos no estádio alvinegro com 78 partidas disputadas, pegou sobra dentro da grande área e bateu firme para mais uma boa defesa de Silva. Cinco minutos depois, no entanto, o goleiro paraguaio nada pode fazer.

Marcelo tabelou com Neymar pela esquerda e jogou no meio para Paulinho, que, em um lindo toque de calcanhar, fez o pivô, e colocou o lateral esquerdo do Real Madrid na cara do gol. Com um toque de classe por cima do goleiro, o camisa 16 fez o terceiro brasileiro e fechou o placar.

Com nove vitórias consecutivas pela seleção, sendo oito pelas Eliminatórias e uma no amistoso diante da Colômbia, além do futebol eficiente e bem jogado, com o time assegurado na Copa do Mundo de 2018, Tite foi ovacionado pelos mais de 44 mil torcedores que compareceram ao jogo nos minutos finais, como era esperado.

FICHA TÉCNICA 
BRASIL 3 X 0 PARAGUAI

Local : Arena Corinthians, São Paulo (SP) 
Público : 44.378 
Renda : R$ 12.323.925,00 
Árbitro : Víctor Carrillo (Peru) 
Assistentes : Jonny Bossio e Coty Carrera (ambos do Peru) 
Gols: Philippe Coutinho (33 min do 1º tempo), Neymar (18 min do 2º tempo) e Marcelo (40 min do 2º tempo)

BRASIL : Alisson; Fagner, Marquinhos (Thiago Silva), Miranda e Marcelo; Casemiro, Paulinho, Philippe Coutinho (Willian), Renato Augusto e Neymar; Roberto Firmino (Diego Souza) 
Técnico : Tite

PARAGUAI : Antony Silva, Bruno Valdez, Paulo da Silva, Darío Verón e Junior Alonso; Cristian Riveros, Rodrigo Rojas, Hernán Peréz e Derlis González (Santander); Almirón (Óscar Romero) e Cecílio Domínguez (Ángel Romero) 
Técnico : Francisco Arce

O próximo compromisso do Brasil pelas Eliminatórias Sul-Americanas da Copa do Mundo será diante do Equador, no dia 31 de agosto. Depois, no dia 5 de setembro, o time de Tite encara a Colômbia. As duas últimas partidas serão contra Bolívia, fora, e Chile, em casa, ambas em outubro deste ano.

Comentários