Quem tentou acelerar a reforma trabalhista: veja lista de votação


Eram necessários 257 votos favoráveis, mas o requerimento obteve apenas 230 votos favoráveis e 163 contrários. Houve dissidência em partidos aliados, como o PSB, o Solidariedade, o PPS, o PSDB, o PSD, entre outros
J.Batista/Ag. Câmara
Erundina chegou a ocupar a cadeira de Rodrigo Maia e a chamar proposta de "desgraça"
O governo falhou em seu primeiro teste para aprovar a reforma trabalhista na Câmara. O pedido para que a proposta fosse votada em caráter de urgência foi rejeitado pelo plenário. O resultado mostrou divisão na base do presidente Michel Temer. Eram necessários 257 votos favoráveis, mas o requerimento obteve apenas 230 votos favoráveis e 163 contrários. Houve dissidência em partidos governistas, como o PSB (19 dos 31 presentes votaram contra) e o Solidariedade (só 4 dos 13 presentes votaram com o governo). PPS, PSDB, PSD, entre outros aliados, também tiveram deputados que votaram contra o pedido.
Houve tumulto na votação. Após a proclamação do resultado, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse que errou ao declarar encerrada a deliberação antes que todos os parlamentares presentes votassem. Ele afirmou que poderá submeter ao plenário novamente caso haja novo pedido dos líderes. Líderes da base governista adiantaram que vão apresentar requerimento já nesta quarta-feira (19).
“Não foi o PT que ganhou, foi a base do governo que foi omissa”, criticou o deputado Valdir Colatto (PMDB-SC).
Clique AQUI e veja abaixo como cada deputado votou, por partido:
Sim – a favor do requerimento de urgência
Não – contra o requerimento de urgência
Fonte: http://congressoemfoco.uol.com.br/

Comentários

Postagens mais visitadas