Temer e Aécio agiram para atrasar Lava Jato, diz Rodrigo Janot

FILE PHOTO: Brazil's interim President Michel Temer (R) talks with Senator Aecio Neves during a ceremony where he made his first public remarks after the Brazilian Senate voted to impeach President Dilma Rousseff, at the Planalto Palace in Brasilia, Brazil, May 12, 2016. REUTERS/Ueslei Marcelino/File Photo ORG XMIT: SAO02
O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, afirmou que o presidente Michel Temer e o senador Aécio Neves (PSDB-MG) agiram "em articulação" para impedir avanços da Lava Jato. As informações são do jornal Folha de São Paulo.
"Aécio Neves, em articulação, dentre outros, com o presidente Michel Temer, tem buscado impedir que as investigações da Lava Jato avancem, seja por meio de medidas legislativas, seja por meio do controle de indicação de delegados da polícia que conduzirão os inquéritos", comentou o procurador, no pedido de abertura de investigação contra Temer acatado pelo ministro Edson Fachin, Janot diz que.
Para Janot, as delações da JBS mostram que a propina paga pela empresa ao ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) e ao Lucio Funaro, operador do primeiro, servia para mantê-los em silêncio. Ele ainda cita nominalmente Temer como interessado no silêncio dos dois presos: "Depreende-se dos elementos colhidos o interesse de Temer em manter Cunha controlado".

Delações

Os donos do frigorífico JBS, Joesley e Wesley Batista, disseram em delação à Procuradoria-Geral da República (PGR) que gravaram o presidente Michel Temer dando aval para comprar o silêncio do deputado cassado e ex-presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha (PMDB-RJ), depois que ele foi preso na operação Lava Jato. A informação foi divulgada pelo colunista do jornal ‘O Globo’, Lauro Jardim.
Aécio Neves foi gravado pedindo R$ 2 milhões a Joesley. O dinheiro foi entregue a um primo do presidente do PSDB, numa cena devidamente filmada pela Polícia Federal. A PF rastreou o caminho dos reais. Descobriu que eles foram depositados numa empresa do senador Zeze Perrella (PSDB-MG).

Fonte: http://www.midiamax.com.br/

Comentários