Dia D estimula inclusão de pessoas com deficiência no mercado de trabalho


No Dia D, o atendimento nas agências do Sine será prioritariamente dedicado às pessoas com deficiência - Divulgação/Governo do RJ


Pessoas com alguma deficiência ou que tenham cumprido o Programa de Reabilitação Profissional pelo Instituto Nacional de Seguro Social (INSS) já podem se preparar para a 2ª edição do “Dia D”, no dia 25 de setembro. A data vai reunir num mesmo espaço as empresas que devem cumprir cotas de inclusão e os trabalhadores que se encaixam nesse perfil – e que pretendem se recolocar no mercado de trabalho.

O evento ocorre em todos os estados brasileiros, numa iniciativa que conta com a participação das Superintendências Regionais do Trabalho, do Sistema Nacional do Emprego (Sine) e de vários órgãos governamentais parceiros.

Na oportunidade, cabe aos agentes de fiscalização do trabalho – que atuam em conjunto com as agências do Sine – fazer a notificação das empresas, com antecedência, para que estejam presentes. Além disso, no dia, o atendimento será prioritariamente dedicado ao público do “Dia D”.

Trabalho Decente

A iniciativa faz parte da Agenda do Trabalho Decente e do Plano Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência – Viver sem Limite, que visa promover a inclusão e a igualdade, desenvolvendo ações de qualificação e conscientização das empresas para a inserção dessas pessoas no mercado trabalho.

“Nossa expectativa é dobrar a participação em relação ao ano passado”, explica a analista técnica de políticas sociais Tatiana Silveira, que está coordenando o evento. No ano passado, informa a analista, 1.052 trabalhadores conseguiram se recolocar no mercado por causa da ação, que ocorreu em 30 de maio. Os estados que abriram mais oportunidades foram o Mato Grosso do Sul, com 321 postos ocupados, e Paraná, com 296 novos empregados. Um total de 790 empresas participaram da ação no dia D. 

Histórico

A ideia partiu de experiências realizadas em Mato Grosso, em 2012, e na Bahia, em 2013, que apresentaram excelentes resultados, em especial na mobilização e conscientização de atores locais. Com o sucesso da mobilização, o Ministério do Trabalho decidiu expandir a proposta a todos os executores do Sine, com as ações ocorrendo nas cinco regiões do País.

Estão envolvidos no “Dia D”, além do MTE, o Sine e secretarias de Trabalho, os Ministérios do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, do Turismo, das Cidades, da Educação e da Previdência, além do Instituto Nacional do Seguro Social e da Secretaria de Direitos Humanos.

Fonte: Ministério do Trabalho e Emprego

Comentários