TARAUACÁ: PROFESSOR DENUNCIA PREFEITURA POR APOSENTADORIA DE SERVIDOR SEM O SEU CONHECIMENTO


O Professor da Rede Municipal Aderlândio França, publicou, nesta quinta feira, 15 de outubro, em seu blog, uma matéria reportando-se ao servidor público municipal, Senhor João Felipe Martins (João Severo), 74 anos, que teria sido aposentado compulsoriamente sem ao menos ter sido comunicado pelo órgão competente. Segundo Aderlândio João severo estava em rio Branco com problemas de saúde e quando precisou sacar seu dinheiro para comprar remédios, sua conta estava zerada. Quando voltou para Tarauacá, foi até a prefeitura e lá teria sido informado que estava aposentado. A matéria tem como título "Governo de Um Novo Tempo: Incompetência ou Irresponsabilidade"?

Leia a matéria abaixo.

"Imagine um funcionário público de 74 anos de idade, uma vida de serviços prestados à população, onde contraiu doenças devido seus esforços e dedicação à profissão, agora tendo que depender de ajudas para comprar sua medicação, tendo em vista ter sido cortado da folha salarial do município há dois meses sem ter sido informado.

Foi isso mesmo que você leu, há dois meses o agora ex-funcionário público municipal, João Felipe Martins, 74, conhecido por João Severo da máquina de arroz, foi "jogado" para a aposentadoria compulsória sem ter sido informado.
O mesmo tem problemas de coração e estava em Rio Branco fazendo o seu tratamento de rotina e precisou comprar sua medicação, oito tipos diferentes de remédios, e o mais barato custa 84,00 (oitenta e quatro) reais, quando pediu para uma de suas filhas ir ao banco sacar alguns trocados e comprar a medicação e sua passagem de Rio Branco para Tarauacá, onde se deparou com a triste surpresa de que não havia dinheiro em conta.

Ao retornar ao município, o mesmo se dirige, no dia 09 de outubro, até a prefeitura e é informado de que está fora de folha desde julho pelo fato de sua idade já lhe permitir ser “jogado” para a aposentadoria compulsória, até ai até que entendemos, mais o que revolta os familiares é o fato de o mesmo não ter sido informado com antecedência para se preparar financeiramente e correr atrás de seus direitos junto ao INSS e direitos trabalhista.

Diante disso nos perguntamos, será que uma pessoa que se dedicou tanto ao seu trabalho não merecia pelo menos um pouco de consideração e respeito?
Isso consideramos falta de respeito com o trabalhador, acredito que alguém que age dessa natureza precisa rever seus conceitos e valorizar um pouco mais os profissionais que estão diariamente na labuta produzindo para que a população usufrua de seu trabalho, no caso do servidor, pelar o arroz que o produtor traz da zona rural.

Diante dos fatos os meios jurídicos já estão em andamentos para que seus direitos sejam garantidos" 

(Aderlândio França)

Do Blog do Accioly

Comentários