Deltan Dallagnol: Projeto que regulariza dinheiro ilegal no exterior aumenta corrupção e garante impunidade

Imagem: Divulgação
MPF repudia PL previsto para ser votado no Congresso a partir desta terça-feiraO procurador chefe da força-tarefa da Operação Lava Jato, Deltan Dallagnol, escreveu nas redes sociais, na madrugada desta terça-feira, sobre a proposta do governo de repatriar recursos:

“Projeto previsto para ser votado no Congresso (‪#‎PL2960‬/15) a partir de hoje, 10/nov, ao invés de diminuir a corrupção, abre espaço para ela e garante a impunidade de crimes, ao regularizar dinheiro ilegal no exterior. Sou contra, compartilho.”

Dallagnol compartilhou a seguinte nota do Ministério Público Federal, publicada horas antes no Facebook:

“Imagine todos aqueles suspeitos de crimes como evasão de divisas que possuem contas secretas no exterior e não declaradas à Justiça brasileira ficarem impunes?

Existe um projeto de lei tramitando no Congresso Nacional que faz isso mesmo, ou seja, regulariza o dinheiro que está no exterior de forma não declarada, sem a garantia de trazê-lo de volta ao Brasil.

É o PL 2960/15, ele está previsto para ser votado no plenário da Câmara a partir desta terça-feira, 10 de novembro.

Para o MPF, essa é uma janela de impunidade que poderá ser uma verdadeira blindagem a favor dos criminosos e investigados nas grandes operações contra a corrupção em andamento no país.”

Uma janela, relembro, que ainda prejudica os procedimentos de recuperação de ativos que têm sido exitosos e estão em curso.

A Lava Jato é responsável pela volta ao Brasil de R$ 2,4 bilhões perdidos para a corrupção – um terço dos R$ 7,2 bilhões já comprovadamente desviados pelo esquema da Petrobras.

Isto, sim, é repatriação de recursos. O resto é passe livre para a lavagem de dinheiro, como querem os especialistas do PT e seus comparsas do PMDB.

Comentários