SAÚDE: Curso sobre saúde das populações do campo, da floresta e das águas está com inscrições abertas





As inscrições para uma nova turma do curso sobre Saúde das Populações do Campo, da Floresta e das Águas estão abertas. O curso é ofertado pela Universidade Federal do Ceará, integrante da Rede Universidade Aberta do SUS (UNA-SUS). A iniciativa é fruto da parceria com a Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa do Ministério da Saúde (DAGEP/SGEP/MS) e contou também com a colaboração do Grupo da Terra.

As inscrições podem ser feitas até 19 de outubro de 2016, pelo site.

O objetivo do curso é disseminar o conhecimento para que profissionais de saúde reflitam sobre como os processos de trabalho e modos de vida das Populações do Campo, da Floresta e das Águas podem influenciar nos processos de saúde e adoecimento, transformado assim práticas de cuidado.´

Estão abertas as inscrições para nova turma do curso Saúde das Populações do Campo, da Floresta e das Águas, ofertado pela Universidade Federal do Ceará, integrante da Rede Universidade Aberta do SUS (UNA-SUS). A iniciativa é fruto da parceria com a Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa do Ministério da Saúde (DAGEP/SGEP/MS) e contou também com a colaboração do Grupo da Terra.

Com carga horária de 45 horas, o curso possui três unidades, que tratam sobre os Modos de Vida e Situação de Saúde; Vigilância e Promoção da Saúde e Atenção à Saúde e Práticas do Cuidado. Os conteúdos foram formulados com base na Portaria Nacional de Saúde Integral das Populações do Campo, da Floresta.

O público-alvo são profissionais de saúde, mas demais interessados no tema também podem se matricular, independente da formação, incluindo gestores do SUS, conselheiros de saúde, lideranças e ativistas.

Claudio Calhau de Castro é oficial médico na reserva do Ministério da Defesa e atua no Rio de Janeiro. Ele realizou o curso em sua última oferta e afirma que foi uma excelente reciclagem, aprimoramento técnico e conhecimentos científicos. “Nos remete à atualidade nacional, mostrando as agruras a que nossa população é submetida”. O médico infectologista e sanitarista conta que a aplicabilidade foi grande, sobretudo para palestras, atendimento clínico e trabalho de campo no interior do estado. “Minha maior motivação em realizar o curso foi a necessidade de aprimoramento profissional, pela necessidade de enfrentamento a realidade do povo nestas condições voltadas para o meio ambiente e suas intempéries”, explica.

Balanço

A primeira turma do curso foi lançada há pouco mais de um ano, em 10 de junho de 2015. Desde então, a iniciativa alcançou mais de 14 mil matriculados e 3.652 concluintes em todo Brasil. São Paulo (473) , Minas Gerais (384) e Paraná (332) são os Estados com maior número de inscritos.

As categorias profissionais de maior representatividade é composta por enfermeiros (23,75%); técnicos e auxiliares de enfermagem (19,36%) e profissionais que ocupam cargos de gestão, administrativos e profissionais fora da área da saúde (16,41%). Eles atuam em Centros de Saúde e Unidades Básicas (39,56%), hospitais (17,30%) e Secretarias de Saúde (10,07%).

A maioria do público do curso é composta por jovens, nas faixas de 31 a 35 e de 30 a 26 anos, respectivamente. Para Souto, esse ponto pode ser positivo para possibilitar ações de protagonismo e disseminação das informações do curso.

Para saber mais, acesse também a página do curso no site da SE/UNA-SUS: http://www.unasus.gov.br/cursos/campo_floresta_aguas.

Comentários