TARAUACÁ: Prefeitura cancela concurso e acusa organizadora de plagiar prova no AC



A Prefeitura de Tarauacá, cidade distante 400 km de Rio Branco, cancelou as provas do concurso público da Saúde, realizadas no último dia 3 deste mês.

Segundo o prefeito em exercício, Chagas Batista, foram identificadas várias irregularidades na aplicação do exame, incluindo plágio. Um procedimento foi instaurado para investigar o caso.

Conforme o decreto de cancelamento, publicado no Diário Oficial (DOE) desta terça-feira (12), a prefeitura tomou conhecimento de "eventual plágio de provas e/ou quesitos levados a efeito de outros certames"; questões idênticas em exames aplicados pela manhã e tarde; e ainda falha na segurança quanto à comunicação dos candidatos.

Ao G1, a organizadora do certame - Calegario - afirmou que ainda não foi comunicada sobre a cancelamento total dos exames. Informou que "o profissional contratado para elaborar a prova específica de enfermagem plagiou uma prova da Universidade de Santa Catarina" e que todas as medidas na esfera cível e criminal foram tomadas.

Inicialmente, segundo comunicado divulgado pela Calegario no dia 8 de abril, o cancelamento dizia respeito à prova de nível superior para enfermagem, apontada como a que foi plagiada; nível técnico nas áreas de saúde bucal, de análises clínicas e em enfermagem; e ainda de nível médio para os cargos de agente de endemias, auxiliar de controle interno e fiscal sanitário.

"O concurso tinha 80% das funções canceladas em função de erros e não tinha mais a credibilidade da população. Então, não tínhamos outra alternativa senão a decisão de anular de forma integral", afirmou o prefeito.

Batista acrescenta que a Prefeitura está tentando juridicamente substituir a organizadora. O objetivo é que novos exames sejam realizados até o final de junho deste ano, data limite estipulada pela legislação eleitoral para a homologação de concursos públicos municipais.

"Em função do problema que houve, estamos voltando à proposição inicial de buscar uma empresa sem fins lucrativos para ver ser não temos muitos problemas e conseguimos fazer em prazo curto. Essa empresa [Calegario] foi um dano grave causado à população e à gestão municipal. Não tínhamos como ficar omissos", afirma.

Empresa diz que cancelamento do concurso não se justifica

Ainda segundo a Cagelario, além do "plágio" na área de enfermagem, foi identificado um erro apenas nas provas de ensino médio e elas seriam reaplicadas. Por isso, para Fagner Calegário, sócio-administrador da empresa, a anulação total do concurso não se justifica. Ele ressaltou todo o ônus pela reaplicar a prova seria apenas da empresa, não havendo prejuízo à Prefeitura.

"A decisão que está sendo tomada não beneficia nenhum dos mais de 5 mil candidatos que prestaram o concurso público. O que podemos garantir é que, assim que formos notificados, passaremos a tomar todas as medidas necessárias para garantir os direitos deles [candidatos]", finaliza.

Por Caio Fulgêncio
Do G1 AC

Comentários