"Nada nos destruirá. Nem a mim nem aos nossos ministros", garante Temer

Assombrado pela expectativa de ser denunciado pela PGR nesta semana, presidente pregou "modernização do País" e disse que "não há plano B"
Beto Barata/PR - 26.6.17
Presidente Michel participou de cerimônia com o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles nesta segunda-feira

O presidente Michel Temer voltou a tentar apaziguar os ânimos em Brasília nesta segunda-feira (26) ao defender a continuidade de seu governo e sua "agenda de modernização do País". "Não há plano B. Há que seguir adiante, portanto nada nos destruirá. Nem a mim nem aos nossos ministros", declarou o peemedebista durante cerimônia no Paláico do Planalto.

A declaração se dá em momento delicado para o governo de Michel Temer . Alvo de investigação que apura denúncias feitas pelo empresário Joesley Batista, o presidente vive a expectativa de ser ser denunciado pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot , o que pode ocorrer ainda nesta semana. Na semana passada, a Polícia Federal finalizou o inquérito contra Temer e Rocha Loures e concluiu na perícia do áudio entregue por Joesley que não houve edições, conforme alegava a defesa de Temer.

"O Brasil está nos trilhos, no caminho da responsabilidade e na rota da superação. Portanto, meus amigos, que ninguém duvide. Nossa agenda de modernização do Brasil é a mais ambiciosa em muito tempo. Tem sido implementada com disciplina, com sentido de missão", declarou o presidente em autopropaganda nesta segunda.

Na noite desse domingo, Temer se reuniu com parlamentares e ministros no Palácio do Alvorada . Oficialmente, a reunião foi feita com o objetivo de “discutir a pauta de votações no Congresso”. Participaram dela o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e os líderes do governo no Congresso, André Moura (PSC-SE), e na Câmara, Aguinaldo Ribeiro (PP-PB).

Também estiveram presentes os ministros Henrique Meirelles (Fazenda), Torquato Jardim (Justiça), Eliseu Padilha (Casa Civil), Antônio Imbassahy (Secretaria de Governo), Moreira Franco (Secretaria-Geral), Sérgio Etchegoyen (Gabinete de Segurança Institucional), e Aloysio Nunes (Relações Exteriores).


Renegociação de preços

Na cerimônia realizada nesta manhã no Planalto, Temer sancionou a lei que possibilita descontos para os consumidores caso o pagamento seja feito em espécie, e não em cartão de crédito ou débito.

A lei que regulamenta a diferenciação de preços tem como origem a Medida Provisória (MP) 764/2016. Além de permitir que os comerciantes cobrem preços diferenciados para um mesmo produto em função da forma de pagamento, a medida sancionada por Michel Temer possibilita a variação do valor em função do prazo de pagamento.

*Com informações da Agência Brasil

Comentários